PORQUE NÃO ACEITAMOS PETS?

Os animais de estimação são como membros da família, eles são cheios de personalidade, de carinho e de dependência, o que os tornam ainda mais queridos e importantes. Não aceitar animais de estimação não significa que não gostamos deles, pelo contrário, nos preocupamos tanto com eles que descobrimos que a estadia deles durante a viagem não é uma boa ideia. E esse post é exatamente para explicar os vários porquês:

1. Animais silvestres - O camping e as cachoeiras são repletos de animais silvestres, e nós, humanos, temos uma sensibilidade muito fraca para percebê-los, mas os animais domésticos, não. Um cachorro e um gato conseguem ouvir o movimento de um tatu no mato a muitos metros de distância. Isso aguça sua curiosidade, sua preocupação, seu instinto caçador ou até mesmo seus medos. Consequentemente o animal começa a ficar inquieto, ansioso e tenso. Isso acontece muito com furão, galinha, ema, tatu, sapo, saruê, pássaros em geral, mas principalmente com calangos, que são muitos e circulam discretamente entre nós. Uma cobra, que poderia passar pelo mato totalmente despercebida por nós, é facilmente identificada por um cachorro. Essa relação entre o pet e o animal selvagem é muito perigosa.

2. Contaminação - Os animais que vivem na cidade, dentro de casa, se alimentando de comidas industrializadas e às vezes até dormindo na cama dos donos, acabam desenvolvendo anticorpos, bactérias e doenças diferentes dos animais que vivem no mato. Por isso, as fezes e a urina dos animais de estimação podem trazer vários problemas para a fauna local, bem como o inverso. O animal doméstico pode levar para casa problemas sérios, como o carrapato de boi, por exemplo.

3. Barulho - Como o ambiente rural está cheio de animais silvestres e o cachorro doméstico não está acostumado com isso, é muito difícil o cachorro ficar tranquilo. Eles latem para todos os movimentos que veem e como nessa hora eles estão presos, eles ficam mais estressados e latem mais ainda. Pela experiência que tivemos nesses anos, percebemos que os animais são submetidos a um grande estresse numa viagem. Eles estranham os barulhos, eles querem cheirar todos os pontos marcados por urina de outros pets, eles passam frio porque à noite é muito fria aqui, eles ficam incomodados com o excesso de pessoas estranhas circulando o tempo todo e no fim eles não usufruem quase nada.

4. As cachoeiras não aceitam pets - Por cuidado ao ambiente dos animais silvestres, as cachoeiras também não aceitam animais de estimação, o que impede o dono do pet de fazer os passeios turísticos. Como a responsabilidade de cuidar de um animal estranho envolve o perigo da rodovia, com carros em alta velocidade, o perigo do córrego e da piscina, além do perigo do pet ir atrás de animais silvestres, nós não aceitaríamos a responsabilidade de ficar com os animais no camping sem os donos, ou seja, não é possível fazer os passeios com o animal nem deixá-lo para trás.

5. O camping tem 2.000m2 de grama esmeralda destinado para colocarem barraca. As pessoas circulam o tempo todo por esse local e é uma situação muito desconfortável quando encontramos fezes e urina de animais de estimação pelo caminho. Pisar num cocô é algo muito desagradável. Geralmente os donos garantem que recolherão todas as fezes do seu animal, mas isso infelizmente não é a realidade.

6. O Giully é um cachorro que vive no camping há mais de 11 anos. Ele era de uma fazenda vizinha e escolheu viver aqui. Ele foi devolvido ao primeiro dono algumas dezenas de vezes, mas voltou todas as vezes até nos convencer a aceitá-lo. Ele foi criado solto, passando dias no camping e dias no mato. Caçava, tomava água do rio, subia o Morro da Baleia e interagia bem com outros animais, exceto com os tatus. Com o tempo, conseguimos ensiná-lo a parar de caçar tatu e ele foi envelhecendo e acalmando. Hoje ele tem quase 14 anos, é manso e muito quieto. Ele faz suas necessidades sempre bem longe, foi educado para não chegar perto das churrasqueiras dos clientes, quase nunca late e não morde. O único animal que o faz levantar do seu sofá é o lobo, que, com seu rosnado, em pouco tempo vai embora. Como ele está muito velhinho evitamos também que haja conflito com outros animais de estimação.

Posts Em Destaque